quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Quem aceita demais perde o respeito....

Antes veja esse vídeo
https://www.facebook.com/felipe.bandeira.16/videos/1658950827721353/?fref=nf


Acabo de ver um vídeo com uma mulher super gata... Linda mesmo, tipo Barbie. Nesse vídeo ela fala que esse negócio de que todos os homens são iguais e não prestam e maior bobeira. E que a mulher que fala isso é porque não soube “fazer a diferença” na vida desse um.  Ok! Até ae eu concordo sim! Mulher tem q fazer a diferença sim. Tem que ser parceira. Tem que estar do lado nos momentos bons e ruins. Tem que dar carinho. Tem que saber ouvir. Tem que não ser “tão chata, pegajosa e ciumenta”... ok... Temos que que ser isso tudo. E pra nós isso não é nem difícil (tirando a parte da pegajosa). Porque a mulher quando gosta, quando ela ama ela faz coisas meu amigo que até Deus duvida. Poderia citar inúmeros exemplos aqui (inclusive dessa aqui que vos fala), mas deixo pra outro momento, não é esse o foco.  
O problema é quando a mulher do video começa a dizer que é “natural” do homem correr atrás de outras mesmo estando comprometido. Que é do instinto dele, da natureza. Que ele pode sim, muito bem ficar com outra na rua e amar a mulher que tem dentro de casa. Oiiiiiiiiii??????
Desculpa-me lindona, mas opinião cada uma tem a sua mas essa teoria sua ae, ao meu ver é uma grandessíssima besteira! Quer dizer então que eu tenho que aceitar que meu marido/namorado tenha outra na rua e achar normal? Ou como você mesmo disse: PASSAR POR CIMA?
Como assim? Se for pra ser assim porque não permanece solteiro?
Esta na moda o tal do relacionamento aberto não é? Experimente um.

Em se falando das mulheres ok. Tem muita que aceita isso mesmo. E não estou aqui pra julgar nenhuma mulher e nem os homens também. A vida é sua e cada um curte da forma como achar melhor... Quem sou eu pra julgar.  Mas experimenta, é só EXPERIMENTA dar essa ideia pra o homem. Fala que você também tem necessidade de fazer loucura com outros homens para ver qual a reação deles. Experimenta dizer: amor, eu te amo, mas fui ao motel com o meu chefe porque ele insistiu muito.
E eu te digo minha cara, as mesmas tentações que os homens sofrem todos os dias as mulheres também sofrem. Seja no trânsito, na academia, no trabalho e ate na fila do supermercado.  E elas (algumas delas eu sei) OPTAM por não trair, por não viver essas loucuras. Por não seguir seus instintos.  Imagina se vivêssemos em um mundo onde todos só seguem seus instintos? Quero nem imaginar o caos.
O que difere o ser humano dos outros ANIMAIS e justamente isso: SER RACIONAL!
Em se tratando de relacionamento não se exige muito. Ela no vídeo cita que os homens são bons porque são carinhosos, nos mimam, dão presente, chocolate, fazem massagem no pé, LEVAM PRA PASSEAR E VIAJAR (ok, agora eu sou um cachorro????). E que nós mulheres, nascemos para amar um homem.
Desculpa-me mais uma vez. Eu nasci pra ser feliz e minha felicidade não está baseada em nada disso que você citou. Minha felicidade está em ser amada sim. Em sentir que eu faço a diferença na vida de alguém, mas acima de tudo minha felicidade está em SER RESPEITADA. E um relacionamento sadio é um relacionamento em que ambos estão juntos por opção. Não porque se completam porque ninguém nasce pela metade. Estão juntos porque têm afinidades, porque gostam da cia um do outro, porque adoram ficar até tarde conversando sobre nada, porque ficam bêbados juntos, porque um gosta de cuidar do outro. Estão juntos com um objetivo em comum: construir algo JUNTOS!

Sou uma mulher independente. Trabalho de sol a sol, pago minhas contas em dia, tomo minha cerveja quando eu quero, e não DEPENDO de homem nenhum pra ser feliz. A caminhada melhora ao lado de alguém que te entende, que é seu parceiro? Com certeza. Mas a caminhada não para se eu estiver sozinha. A caminhada para se eu me sentir triste, desanimada, desvalorizada por esse cara que eu jurava ser meu companheiro mas que tem um "instinto" - animal eu diria - de ficar com outras na rua. E por isso a velha e já tao batida frase: ANTES SÓ DO QUE MAL ACOMPANHADA!   

Ai você fala: ela é muito feminista. Aposto que não quer se casar. Muito pelo contrário. Sonho todos os dias em casar, ter filhos, uma família... TODOS OS DIAS! Mas talvez por já ter aceitado muito esse tipo de comportamento que a cara colega citou eu já não aceito qualquer coisa. Já não me permito viver com uma pessoa que não me dê o mínimo que se pode ter por quem se diz que ama: RESPEITO. E meu casamento vai acontecer... um dia mas com aquele que valer a pena. Aquele que vai, junto comigo, construir uma vida á DOIS.  Viu ae? A DOIS: Eu e ele. O máximo que pode entrar são nossos filhos..  Mas isso é algo que iremos, futuramente, decidir quantos serão.

Enquanto isso sigo vivendo. Sem sofrimento. Sem perder noites chorando imaginando onde  ou com quem ELE está. Sigo sozinha. Me divertindo. Me embriagando. Viajando. Trabalhando, mas acima de tudo ME RESPEITANDO. E Procurando alguém com a mesma ideia. A mesma maturidade e quer saber? Eu simplesmente não aceito menos que isso! 

***Deise Laura***

terça-feira, 22 de setembro de 2015

A DELICIOSA ARTE DE LIGAR O FODÔMETRO

Dominar a técnica de ligar o fodômetro é uma das poucas lições que deveríamos realmente aprender na vida! Mas não se iluda caro leitor. Ela exige muita prática e muita disciplina. Não é do dia para a noite que se incorpora a deliciosa conduta de mandar a PQP o que deu errado. Provavelmente, muitas tentativas e erros serão necessários antes de uma habilitação quase que perfeita. Mas não desanime. Se investimos tanto tempo, dinheiro e energia em coisas completamente supérfluas, por que não se dedicar a algo realmente libertador?

Não me amou? Que pena. Nem todo mundo tem bom gosto.
Não gosta de mim? Que coincidência! Também não gosto de você!
Não respeita as minhas opiniões? Vai se fazer o quê? Unanimidade é uma utopia.
Não me contrataria para a sua empresa? Existem muitas outras bem mais bacanas!
Acha que devo fazer sexo contigo para conseguir a vaga que quero? Não me ofendo. Você é só mais um babaca que quer apenas sexo comigo.
Falou mal de mim pelas costas? Acontece. Falamos mesmo. Faz parte da raça humana falar e falar para depois pensar.

Não tem tempo para tomar um café comigo? Ok. Talvez você não goste de café ou prefere outro tipo de companhia. Mais uma vez penso no lance da unanimidade.
Aquela oportunidade que eu tanto esperei não saiu? Não foi a primeira nem será a última. Enquanto isso, tomo meu vinho vendo um filme de arte ou conversando com uma amiga louca.
O restaurante que adoro está caro demais para o meu orçamento? De duas uma: como salsicha o mês todo para poder pagar um jantar espetacular ou aceito a frustração de não poder freqüentar um lugar caro.
Não deu para ver a peça teatral que eu queria pois os convites estão esgotados? Compro ingresso para outra e se um dia esta peça voltar a entrar em cartaz, dou pulos de alegria.
Minha melhor amiga não me compreende? Arrumo outra.
A roupa da moda me deixa um horror? Compro uma que não está ou uso uma velhinha mesmo. Vejo pelo lado bom: economizo e talvez até consiga pagar aquele restaurante bacana.

Não tenho com quem sair no final de semana? Saio comigo mesmo ou fico em casa fazendo qualquer coisa que me agrada. A vida acontece na rua ou em casa. A vida acontece onde a gente estiver se pusermos um pouco de imaginação.
Estou namorando? Que delícia! A noite promete!
Estou sem namorar? Beleza! Posso ficar mais uma semana sem me depilar.
Um amigo está se tornando inconveniente demais? Não é preciso ser mal educado. Basta evitá-lo.
Ficam dizendo o tempo todo como devemos viver? Beleza! Podemos escutar mas não devemos processar a informação. Depois vale a pena dar um bom gelo no chato de plantão.
Me invejam? Que joia! Ser invejado é para poucos!
Estou sem namorar? Saio com os amigos! Pode ser bem mais divertido! Estou namorando? Arrumo um jeito de deixar meu namorado completamente excitado num local público. É uma experiência e tanto!

Aquela jaquetinha fashion não tem no meu número? Perfeito! Economizo! A vendedora de repente descobriu um último exemplar abandonado no estoque? Maravilha!
O restaurante que sempre vou está lotado? Talvez seja a oportunidade para conhecer um lugar novo.
Ganhei? Muito bom! Ganhar é sensacional.
Perdi? Paciência. Pelo menos aprendi alguma coisa.


Em resumo: quem aprende a ligar o fodômetro percebe que nada é tão urgente assim e que ganhando ou perdendo a vida continua sempre em frente. Deveríamos nos cobrar menos e nos permitir mais. Deveríamos nos culpar menos e nos divertir mais. Deveríamos lembrar e esperar menos e viver mais. Mais vale o prazer de um provolone à milanesa que existe do que a projeção de um castelo na Itália. Capisce?

***Silvia Marques - publicado no blog OBVIUS***

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Quando o desamor é confundindo com amor


Um pai provoca um acidente e mata seus quatro filhos.
Uma mãe se hospeda em um motel no interior. Mata suas duas filhas e logo após se enforca.
Tudo isso, a principio causado pelo fim de um relacionamento, ou melhor, pela não aceitação desse fim. Esses são só dois exemplos dos vários que nos chegam todos os dias através da televisão, do rádio e da internet.
 -“Esse ‘negócio’ de amar tem se tornado cada vez mais perigoso né?” me disse uma amiga.
E eu retruquei: Na verdade não. A falta de amor é que se torna cada dia mais perigoso!
Hoje em dia eu costumo brincar com essa coisa de amor, de relacionamento e etc. Tem uma música que diz: “O amor é uma flor roxa que nasce no coração dos trouxas”.
Quem me conhece sabe o quanto eu já reclamei e sofri por 'amor'. Já tive namorado roubado pela minha melhor amiga (e eu achei que iria morrer). Já tive namorado que me traiu. Bom, na verdade verdadeira mesmo meu namorado ‘namorava comigo’ e MORAVA com outra mulher (e quando eu descobri achei que iria morrer de novo). Já tive um ‘amor’ que passávamos praticamente todos os finais de semana juntos. Quando não era trabalhando era junto mesmo. Viajamos sozinhos. Conheci a família dele, a casa dele, mas de acordo com ele, não era namoro. E, pasmem, eu o aceitei de qualquer jeito. Desse eu fui ‘a outra’, a 3° opção, e eu o aceitei mesmo sabendo que ele ficava com toda e qualquer pessoa que demonstrasse o mínimo de interesse por ele (e por causa desse eu quase morri de verdade).​
Como eu chorei, como eu sofri. Não por não ser amada. Sofri por não ME amar o suficiente. Sofri por não ter o mínimo que todo o ser humano precisa ter: amor próprio!
E esse ‘desamor’ que é, quase sempre, confundido com amor!
Frases como: ”- Eu amo tanto aquela pessoa que não consigo viver sem ela." podem ser facilmente traduzidas por: Você não se ama o suficiente pra saber o quão especial você é!
Uma coisa é verdade inegável: onde NÃO EXISTE o amor próprio não pode haver NUNCA amor pelo outro!
Esse papo parece meio clichê, meio piegas, mas é a mais pura verdade. Verdade essa que já me falaram várias, inúmeras, incontáveis vezes e eu, não sei por que razão, não conseguia entender!
Hoje eu não me arrependo de nada. Nem das histórias que vivi e muito menos do sofrimento que eu julgo ter passado. Claro que não viveria nada disso de novo se eu tivesse escolha, mas eu sei que foi graças a esses "amores", esse “sofrimento”, que cheguei onde eu estou hoje.
Eu acredito, de verdade, que todo sofrimento é valido.  É através dele que nos tornamos pessoas melhores. O sofrimento nos faz crescer, amadurecer. Mas esse tipo de sofrimento é totalmente dispensável.
Amar o próximo como a SI mesmo... Não o próximo MAIS que a si mesmo!

E esse tal de amor próprio e complicado viu! Assim como o amor ao próximo deve ser exercitado dia a dia. Em cada momento, em cada ação, em cada atitude e principalmente em cada decisão.
Pra cultivar o amor próprio você deve entender que você nasceu sozinho e vai morrer assim (ou você já ouviu falar em caixão duplex?). Por mais que você goste das pessoas e que elas sejam sim importantes pra sua vida, pro seu desenvolvimento ninguém, absolutamente NINGUEM é INDISPENSÁVEL (nem você) e acredite em mim: você não vai morrer por isso.
Quando você entende que estar sozinho não é assim tão ruim você começa a se curtir mais. Não tem mais medo de ir ao cinema ”forever alone”. Vai àquela festinha ou mesmo a um casamento desacompanhado numa boa porque afinal de contas... antes só certo?
Quando você perde o medo de estar ou ficar sozinha você começa a se gostar mais e esse é um dos passos fundamentais para o alcance do amor próprio. Se aceite da forma como você é. Gorda, baixa, cabelo curto, como longo, nariguda, orelhuda ou qualquer outra coisa que tenham te falado.
Pode até ser verdade. Você pode não ser uma atriz ou ator da Globo, uma Panicat ou um bombadão, mas e daí? Existe um ditado que minha mãe sempre me disse que é a mais certa do mundo: Há sempre um chinelo velho para um pé cansado.  Se for pra ficar com alguém, esse alguém tem que te aceitar do jeitinho que você é. Com seus defeitos e qualidades. Com suas manias e costumes. Com suas caras, bocas e trejeitos. Se não fosse assim. Se só os lindos, ricos, legais e bem sucedidos seriam felizes e teriam os relacionamentos mais perfeitos do mundo... E nós sabemos que não é isso que acontece né?  E se você ai acredita que nasceu pra ser frigideira (a panela que não tem tampa) está tudo certo também. Quem ama a si próprio nunca está sozinho!
Mais um passo é aprender a dizer não. Não é qualquer um que merece sua atenção, sua dedicação, sua preocupação. Diga não inclusive pra você e não aceite menos do que você merece! Por vezes você vai até parecer metida para alguns. Vai ouvir que você está "se achando" como dizem por ai, mas não é isso. Se colocar em primeiro lugar não é egoísmo, convencimento ou coisas assim. Se valorizar é ter AMOR PRÓPRIO!
Por último, mas não menos importante: NÃO LIGUE PARA O QUE OS OUTROS FALAM/PENSAM. Esse nem precisa explicar muito certo? Deixa falar, você esta preocupada e ocupada demais com você e se amando.Enfim... é complicado mas não impossível. Na verdade sei que nada do que qualquer outra pessoa te falar vai fazer você começar se amar agora, amanha ou depois. Eu mesmo não sei quando foi que eu comecei a me amar tanto assim. Talvez um misto de maturidade com decisões certas nos momentos exatos... Não sei! Só sei que se amar é o melhor dos sentimentos. O amor próprio é o mais fiel e duradouro dos amores. Que tal começar a praticar hoje?


   

***Deise Laura***

sábado, 10 de janeiro de 2015

Mais respeito por favor...

Duas mulheres nuas se beijando e se abraçando. Estranho para você? A mim não!
São duas pessoas que se amam, se gostam e resolveram demonstrar esse sentimento!

Duas mulheres nuas se beijando e se abraçando, às duas horas da tarde, em frente à igreja São José (centro de Belo horizonte), trajando coroas de espinhos falsa e deitadas em cima de uma cruz. Ok. Agora sim é estranho. Mais do que estranho é DESRESPEITO.
Desrespeito a quem não quer ver essa cena e acima de tudo, desrespeito com os dogmas da minha religião. Igreja, a meu ver, é lugar sagrado e deve ser respeitado.  
O mais engraçado nessa cena é que se tratava de um protesto para a criminalização à homofobia. Elas não queriam mais ser DESRESPEITADAS e julgaram que a melhor forma de conseguir isso era desrespeitando a religião e as crenças das outras pessoas!

Isso foi só um exemplo de algo que aconteceu recentemente, mas o assunto não é homofobia é sobre as conseqüências que o desrespeito pode levar.

Mais recente que isso foi o tão falado ataque terrorista ao jornal francês Charlie Hebdo.
Também sou jornalista e assim como toda população mundial eu também fiquei comovida e me solidarizo com os familiares de todos os mortos e feridos.

Mas uma coisa que não posso ser é conivente. Uma coisa gente é fazer PIADA.  Outra coisa que eu sou e sempre serei a favor é do humor livre. Aquele que pode fazer piada de tudo e de todos independente de classe social, etnia, raça e até da religião. Mas as pessoas precisam entender é que toda, TODA religião tem seus dogmas e pilares que são imaculados! PRECISAM ser respeitados.

A charge abaixo (a que mais me chamou a atenção dentre tantas outras absurdas) é uma completa falta de respeito à santíssima trindade tão respeitada por nós católicos (e creio que evangélicos também). Se existisse algum cristão mais revoltoso, mais despreparado o fim teria sido o mesmo que os terroristas deram

A capa de novembro de 2012 ironizava a Santíssima Trindade"le pe're (pai) / le fils (filho) Le saint esprit (espirito santo)" e trazia o casamento gay.


Que fique claro que eu não estou aqui defendendo terrorista! Todo e qualquer ato terrorista tem que ser punido severamente. Creio que esses “homens bombas” e afins são pessoas que não sabem interpretar direito o Alcorão e saem fazendo essas besteiras. Colocando a vidas das pessoas em risco! Um bando de alienados! Infelizmente essa alienação religiosa acontece muito até nos dias de hoje e bem perto de nós. Graças a Deus não dessa forma extremista como os islâmicos que levam a matar e morrer, mas algumas pessoas são alienadas nas atitudes...

Enfim. Uma história trágica, com fim triste que poderia ser evitada se houvesse respeito. Uma palavrinha tão simples de oito letras que poderia evitar a morte de nove pessoas!

A todos que eu vejo postando a “#SomosTodosCharlie” eu sinto muito em não poder concordar com vocês. Esse caso pra mim é bem mais complexo e envolve muito mais do que adquirir lados, posições. Se fosse pra assumir um hashtag a minha seria “#MaisRespeitoPorFavor”. 

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

E lá se foi mais um ano!!

Não acredito muito nessa coisa de “o ano que vem te traga isso... aquilo...”. O ano/mês não é Sedex pra te trazer nada!  Sou adepta do “seja você a mudança que quer ver no mundo”

Quem me conhece sabe que sou uma pessoa de personalidade forte. Gosto que as coisas saiam como eu planejei, na hora certa. Odeio esperar, me falta paciência pra muitas coisas e eu costumo ter a língua solta no sentido de falar o que eu penso.

O tempo,  e só ele, tem o poder de nos trazer maturidade suficiente pra entendermos que as coisas nem sempre saem como gostaríamos, saber esperar é divino, paciência é um exercício diário e quanto menos você falar melhor será pra você. Nem todas as pessoas estão afim de ouvir o que você tem para falar principalmente se você for falar a verdade.( Na verdade nem nós mesmo estamos dispostos a ouvir a verdade sobre nós).

O ano que passou foi de muito crescimento pessoal e profissional! Larguei a música que eu julgava ser a única coisa que eu sabia fazer e isso me causou muito sofrimento. Muito mesmo! Chorei, mas chorei tanto que achei que não ia passar nunca mais... mas adivinhem só: passou! Doeu, chorei, sofri, mas passou! Com isso eu aprendi que “Não há  dor que perdure para sempre”. E descobri algo muito melhor: EU SOU CAPAZ  e aprendi também que eu sou maior do que os meus sonhos!

 Comecei um novo emprego! Na verdade dois empregos em 6 meses! Um como secretária e outro como locutora! Tive que largar o de secretária porque essa função linda não aceita metades. É muita responsabilidade, muitos compromissos que exigem de você praticamente 24hs por dia! Desse eu saí feliz pois estava indo fazer o que sempre sonhei, o que sempre esperei: um emprego na minha área: COMUNICAÇÃO! Foram 4 longos anos de espera, de “nãos”  de chegar próximo da desistência! Pensava: ‘realmente escolhi a área errada/  isso não é pra mim / Ahh se eu pudesse fazer outro curso...voltar no tempo”. Mas o emprego veio. Demorou mais veio! Não foi fácil e não está sendo até hoje... mas esses degraus servem pra isso: CRESCIMENTO PROFISSIONAL! Com isso tenho aprendido: que nada é da forma como queremos e nem no tempo que precisamos. Deus tem sempre um tempo para agir e para curar! Não sabemos quais os planos Dele para o nosso futuro!

Enfim, ao ano que passou eu só tenho a agradecer. Cada lágrima que derramei, cada sorriso -  mesmo que falso por algumas vezes - e até cada plano que quase desfiz!!!

E espero de verdade que nesse ano que se aproxima  EU consiga manter as pessoas que eu realmente amo perto de mim. Meus amigos, que descobri são pouquíssimos, mas são verdadeiros. Espero ter mais paciência pra lidar com minha família: mãe e irmãos Eles que aguentam todo o meu mal humor, toda a minha implicância, todas as minhas lagrimas e mesmo assim continuam me amando imensa e incondicionalmente! 
Espero entender que eu não posso resolver todos os problemas do mundo e que nem tudo é minha responsabilidade!
Espero ter maturidade suficiente para aprender a lidar com as fofocas, invejas e maledicências de um meio completamente novo! Espero conseguir identificar os lobos em pele de cordeiro com mais facilidade. Espero encontrar alguém com quem eu possa dividir meus medos, anseios, felicidades e conquistas (mas isso já não é meta de vida... só um adendo rs).
Espero ser melhor porque eu não acredito que “os opostos se atraem”.  Um certo sábio disse uma vez que as pessoas que temos em nosso circulo são reflexo do nosso estado de espirito. Portanto se estamos felizes, radiantes, bem resolvidos e maduros atraímos o semelhante!  Semelhante atrai semelhante! No ano de 2015 eu só quero atrair Flores... nada de pedras!!!


Feliz Ano Novo!!!! 

sábado, 27 de dezembro de 2014

Como surgem os boatos...


- Você viu a Maria??
- Vi não menina... anda sumida  né?
- Pois é...OUVI DIZER que traiu o marido ..foi expulsa de casa... ‘tá’ morando numa cidade do interior com uns parentes distantes...
Pronto, está criado um boato (ou como eu gosto de chamar fofoca mesmo). Simples assim!
Pessoas desinformadas, sem assunto útil inventando coisas sobre quem não conhecem. São sempre informações sem fonte definida, em um tom de especulação e sempre com caráter negativo/ pejorativo (nunca inventaram que eu ganhei na mega sena por exemplo..)
Infelizmente os boatos/fofocas/mentiras estão ae desde que o mundo é mundo e não vão mudar!
Você pode mudar de casa, bairro, cidade, país, emprego, amigos que eles sempre estarão lá. Goste você ou não!
Daí você tem duas opções: se abater, se trancar no quarto e deixar de viver ou rir disso tudo e levar uma vida mais leve e tranqüila!
Convenhamos. Você por um acaso já ouviu alguém inventando uma fofoca, ou um boato muito pesado de um mendigo? Ou de uma pessoa derrotada?? Em sua maioria os boatos são inventados de quem está em evidencia! Da pessoa mais bonita, mais legal, mais cheia de amigos, mais bem sucedida (profissional ou amorosamente). Então meu amigo minha amiga, sinta-se amado quando inventam algo sobre você.
Ok, um amor meio ‘psicopatico’ mas amor rs...
O fofoqueiro geralmente é uma pessoa que não consegue ter resultados por si só e acaba “falando pelos cotovelos”. Usa as ‘informações preciosas’ como moeda de troca....tsc tsc!
O lema: “falem bem ou falem mal mas falem de mim” tem que realmente fazer parte da sua vida não apenas como uma máxima, mas como um estilo de vida! O que realmente importa é quem você é.
A vida é mesmo pra ser vivida e só dessa forma é que vamos conhecendo as pessoas e entendendo as situações! Algumas pessoas irão sempre estar ao seu lado e outras irão se aproximar só pra te ver e te fazer mal... 
Disso tudo tiramos algumas conclusões: 
1° Você nunca será bom o suficiente.
2° Você não está imune às fofocas, mesmo se for amigo do ‘fofocador’. E aqui se quiser uma dica: fique longe. "diga-me com quem andas que direi quem tu és". Entendeu?
3° Só existem boatos porque se têm ouvidos demais para dar atenção. Quando se têm ouvidos para dar atenção. Por isso evite sempre conversas que comecem com: “ Fiquei sabendo, Ouvi dizer, Não comenta com ninguém, Nem te conto...” e por ae vai!
4° E por fim tome cuidado com quem está sempre especulando, falando de todos à volta... se alguém é sujo o suficiente para falar dos outros... é sempre sujo o bastante para mentir
Ahh e  ae é que está a boa noticia: Mentira tem perna curta, sempre têm!!!
E deixem que pensem, que digam e até q falem.... no final do mês quem paga as suas contas? 
O que realmente importa não é o que dizem... mas o que você sabe a seu respeito!!!

Quando a fofoca é demais a INTELIGÊNCIA se cala!!!!

***Deise Laura***

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Amor Platônico... Chama acesa

A idade deveria nos proteger de certas situações que são consideradas ridículas.

Amore platônico, por exemplo, é uma situação bem ridícula que a maturidade deveria coibir. Mas e quando você se pega assim. Platonicamente apaixonada?  Bom, enquanto para alguns pode soar como ridículo a mim soa como recordação! Fez-me recordar como é sentir aquele frio na barriga. Como é sentir medo de falar alguma besteira, de parecer idiota. Fez-me recordar como é bom sim estar apaixonada! Coisa que preciso confessar: não acontecia de verdade há muitos e longos anos!

Ter o coração congelado é muito ruim! Não da vontade de fazer nada. Falta ânimo. Disposição. Entusiasmo. Camões já bem disse que ‘o amor é FOGO que arde sem se ver’. Quer coisa mais animada e pra cima que o fogo? Você já parou para observar a chama de uma vela? Ela não fica parada! Movimenta-se o tempo todo. Tem uma cor linda, produz um calor gostoso! É assim que eu imagino um coração que esteja aquecido. Um coração que esteja amando/apaixonado. Claro que no caso da paixão não é bem uma chama e sim enormes e perigosas labaredas rsrs.

Deixando de lado toda a discussão sobre valer a pena gostar de alguém, não gostar, a pessoa merece ou não merece e blá blá blá no fim o que vale mesmo é saber que estamos vivos. Aptos a se apaixonar, a dar e receber todo o amor que merecemos.  Muitas vezes me peguei reclamando que estava difícil arrumar alguém bacana. Que era mais fácil ganhar na loteria que arrumar um namoro sério quando na verdade era eu que não estava preparada para me apaixonar. Estava com o coração frio, congelado, sem cor...

Agora que sei que estou finalmente disponível é hora de procurar uma paixão de verdade. Porque o amor continuou e vai continuar platônico (que droga).  “Foi bonito? Foi. Foi intenso? Foi”, mas essa é a parte chata do amor platônico. Falta o calorzinho.. Parecido com aquele da vela sabe? Pois é! Mãos as obras (ou seria coração as obras?)